Notícias

17/10/2018

Agricultura vai apresentar projeto para reduzir desperdício

Para marcar o Dia Mundial da Alimentação, celebrado em mais de 150 países em 16 de outubro em comemoração ao aniversário da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) apresentará ao Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) um projeto que visa a redução de perdas e desperdício de alimentos em todo o Estado.

A iniciativa é do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan) em parceria com o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Estão sendo programadas ações de assistência técnica, capacitações e educação alimentar e nutricional com alunos, merendeiras, consumidores, usuários dos Bancos de alimentos, agricultores e organizações da agricultura familiar, além de linhas de crédito diferenciados para organizações da agricultura familiar e municípios, pelo BRDE. A parceria deve ser oficializada em novembro, com início das atividades no próximo ano.

O tema do Dia Mundial da Alimentação em 2018 é “Nossas ações são o nosso futuro. É possível #FomeZero até 2030”, o que remete à meta globalmente acordada de Fome Zero, de acordo com a Agenda 2030 e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs), que estabelece na meta 12.3: “Até 2030, reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita”.

O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, George Hiraiwa, reforça que o tema deste ano merece a reflexão de todos. “Em nosso país ainda são significativas as perdas e desperdícios de alimentos desde a produção até o consumo. Este novo projeto para redução de perdas e desperdícios de alimentos nas principais cadeias do Estado, preenche uma importante lacuna nas políticas públicas, pois não basta produzir mais e melhor, precisamos aproveitar tudo com racionalidade e sustentabilidade”, diz.

No governo estadual, a Seab é a principal articuladora da Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional, por meio do Desan, que promove apoio técnico através de ações e programas em âmbito regional e local, para promover a segurança alimentar e nutricional, a elevação do padrão da qualidade de vida da população em situação de vulnerabilidade social e de insegurança alimentar, além do suporte técnico ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do Paraná (Consea/PR) e Câmara Governamental Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan/PR).

Para a diretora do Desan, Valéria Nitsche, é fundamental um maior conhecimento do direito constitucional à alimentação adequada, bem como a abrangência do conceito de segurança alimentar e nutricional. “A segurança alimentar e nutricional é muito mais do que a higiene do alimento e do uso de boas práticas de manipulação. O conceito se estende desde a melhoria das condições de produção no campo e geração de renda para os agricultores, passa pelo abastecimento, qualidade da água e solo, sustentabilidade, consumo e pós consumo. Com certeza, é a política de hoje e a do futuro”, diz.

No Desan são desenvolvidos importantes programas com foco na garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada e na segurança alimentar e nutricional como: Leite das Crianças, Mais Renda no Campo, Apoio à Implantação de Restaurantes Populares e Cozinhas Comunitárias, Hortas Urbanas e Periurbanas.

Fonte: ASCOM SEAB

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.